O OPO’LAB, centro multidisciplinar dedicado ao uso de novas tecnologias nas áreas criativas abre, este mês, o Co-Working Studio. O projeto vai ter lugar na Rua do Bolhão, no Porto, e conta com mil metros quadrados de área e capacidade para 80 pessoas.

As candidaturas para o projeto já abriram [devem ser enviadas para studio@opolab.com] e todos os interessados vão pagar 30 euros por mês, ou seja, cada participante paga um euro por dia – valor que já inclui gastos de água, eletricidade e Internet. No entanto, cada pessoa terá de utilizar o seu próprio computador.

Mas o Co-Working Studio não se vai cingir aos espaços individuais. Vai incluir ainda uma sala de reuniões com capacidade para 12 pessoas, salas de workshop e um auditório são alguns dos elementos que vão fazer parte das instalações. O projeto é coordenado por quatro arquitetos responsáveis pelo OPO’LAB.

ISMAI já reservou lugares para os estudantes

No entanto, o Instituto Superior da Maia (ISMAI) já reservou 25 lugares a um preço especial, para os seus alunos. De acordo com o instituto, não havia nenhum espaço para estes pudessem arrancar com os projetos que desenvolvem depois de acabar o curso. Assim, o Co-Working Studio surge como uma solução low-cost, já que o aluguer de outro tipo de espaço traria custos fixos bastante mais elevados que estudantes recém-licenciados não são capazes de suportar.

A Associação Porto Digital também participou, juntamente com o Instituto Superior da Maia, na criação do Co-Working Studio. O ISMAI vai contribuir com mobiliário, transporte e vai fazer o controlo de acessos 24 horas por dia.