Os cientistas Carlos Fiolhais e Manuel Sobrinho Simões juntam-se aos economistas Daniel Bessa e Manuel Mira Godinho, ao sociólogo António Barreto, ao ensaísta Onésimo Teotónio Almeida, ao físico Pedro Echenique e a Luís Portela, chairman da Bial e ex-presidente do Conselho Geral da Universidade do Porto (UP), para debater o papel da Ciência e da Inovação em Portugal, em contexto de crise económica.

O debate acontece às 14h15 desta sexta-feira, dia 22 de novembro, no Salão Nobre da Reitoria da UP. Organizado pela Fundação Francisco Manuel dos Santos (FFMS) e intitulado “Ciência, Economia e Crise“, conta ainda com a intervenção do reitor José Marques dos Santos.

Em cinco horas de conversa [programa], os participantes tentarão dar resposta a algumas das questões mais vitais para o futuro da Ciência no nosso país: “Prolongando-se a atual crise, como vai ser o investimento em Investigação e Desenvolvimento (I&D)?; Poderá ser aumentada a eficiência do sistema de investigação, em larga medida montado ao lado do sistema de ensino superior?; E poderão as empresas empregar mais doutores, absorvendo jovens qualificados que de outro modo tenderão a procurar lugares no estrangeiro?”.

Pedro Echenique, antigo laureado do Prémio Príncipe das Astúrias de Ciências é professor de Física da Matéria Condensada e um dos principais oradores do debate, com mais de 300 trabalhos publicados e 26 teses orientadas. A sua intervenção, que precede todas as outras, tem início às 14h30.

A entrada é gratuita e livre a todos, mas sujeita a inscrição através do e-mail eventos@ffms.pt.