São cerca de 70 as vagas que a Federação Académica do Porto (FAP) abre todos os anos para alunos e ex-alunos das instituições da Academia do Porto que estejam interessados em colaborar com a organização da Queima das Fitas. As funções passam pela venda bebidas, controlo do acesso ao recinto ou venda de bilhetes e as regalias oferecidas pela FAP passam por remuneração monetária, cujo valor difere consoante a função desempenhada, e a entrada gratuita no Queimódromo.

A candidatura e seleção dos candidatos

Na escolha dos candidatos, a FAP vai ter em consideração, maioritariamente, a experiência. O fator principal é o facto de os jovens já terem colaborado na Queima das Fitas ou noutro evento em que as funções desempenhadas sejam de caráter semelhante.

A candidatura é feita através do preenchimento da ficha de inscrição, que pode ser enviada para tesouraria@fap.pt ou entregue diretamente na sede da FAP (Rua do Campo Alegre, 627), acompanhada de uma fotografia tipo passe. Os candidatos que forem selecionados serão contactados pela FAP entre os dias 18 e 23 de abril.

Em declarações ao JPN, o presidente da FAP, Rúben Alves, refere que o número de vagas abertas por ano “depende muito da forma como é organizado o processo de logística”, por isso, ainda não é possível apontar um número certo, pois “ainda está em fase de desenho”.
Quanto ao número de candidatos, a procura é sempre grande.

FAP não receia que os acontecimentos do ano passado afastem candidatos

Quando questionado acerca da possibilidade do número de candidatos diminuir devido aos acontecimentos trágicos do ano passado, que levaram à morte de um estudante na bilheteira do recinto do Queimódromo, o presidente da FAP afirma que compreende que “esse receio pode existir individualmente em cada uma das pessoas”, mas não antecipa se isso vai ter um impacto no número de candidatos.