Há quatro anos que o “FAP no Bairro” se dedica a ajudar comunidades desfavorecidas, permitindo aos estudantes universitários integrarem um projeto de voluntariado social.

Até hoje, centrou-se em apoiar essencialmente as crianças e os idosos do Bairro do Carriçal, mas chegou a altura de alargar horizontes. Ainda este ano, a Federação Académica do Porto (FAP), responsável pelo projeto, conta abrir um novo centro, no Bairro de Pinheiro Torres.

“A abertura de um novo centro naquela localização permitirá a aproximação do projeto aos estudantes que estudam noutros pólos e que, desta forma, poderão contribuir para o desenvolvimento da FAP no Bairro mais próximo do seu local de estudo”, explica a FAP, em comunicado. “Por outro lado, com a abertura de um segundo centro alargamos a intervenção realizada na cidade e beneficiamos novos públicos, capacitando-os de um conjunto de valências e desenvolvendo um rol de atividades até agora desconhecidas”.

Novo coordenador com salário base de 335 euros

No entanto, novas responsabilidades exigem mais pessoas. Com a abertura deste novo centro “surge a necessidade de contratar um coordenador local”, que assegurará a gestão local do projeto, fazendo a ligação entre a Direção da FAP, o corpo de voluntários e a comunidade [mais info: PDF].

A atividade implica a disponibilização de 20 horas semanais (das 15h às 19h de segunda a sexta-feira) com um salário mensal base de 335 euros (mais subsídio de alimentação). Os interessados, que devem ser alunos de qualquer ciclo de estudos da Academia do Porto, devem apresentar a candidatura até às 23h59 do dia 31 de outubro, através do e-mail fapsocial@fap.pt ou presencialmente na sede da FAP.

Projeto deu origem ao primeiro centro comunitário coordenado por estudantes

Este projeto nasceu em 2010, fruto de um “desafio proposto à Federação Académica do Porto” para a “criação de um espaço físico que vincasse a capacidade de intervenção social dos estudantes”. Foi pioneiro e deu origem ao primeiro “Centro Comunitário exclusivamente concebido e coordenado por estudantes”.

“A versatilidade do espaço, a diversidade de projetos e da área de formação dos estudantes voluntários e o potencial único de intervenção na comunidade, tornam a FAP no Bairro um projeto com um dinamismo único”, descreveu a organização, na altura, em comunicado.

Para participar basta preencher um formulário online e aguardar o contacto para a marcação de uma entrevista.