O aquecimento para o campeonato internacional de dança urbana já começou. O MXM Art Center, na Rua do Ouro (Porto), recebe dançarinos vindos de países como Brasil, França, Inglaterra, Venezuela, Bélgica e Itália. O JPN foi assistir à preparação dos concorrentes no evento.

O Porto World Battle, um dos maiores eventos de dança com “visibilidade internacional”, integra pela primeira vez as qualificações mundiais. No evento, os candidatos são desafiados a dançar vários estilos dentro da dança urbana, incluindo o hip-hop, o locking, o bboying, popping e house.

Cátia Mota, gerente do espaço MXM, explica ao JPN que o foco do evento é “fundamentalmente os top styles e o bboying”.

Bilhetes e preços

Os bilhetes podem ser adquiridos em duas modalidades: bilhete geral a 30 euros e o bilhete para a final a 20 euros;

Na sexta-feira, dia de arranque do evento, o enfoque passa pelas “cyphers de top styles”, ou seja, enquanto um dançarino mostra o seu talento, os restantes assistem em círculo. Por fim, os dançarinos trocam de papéis ao longo da cypher, onde não há regras formais definidas.

Neste dia, também decorre um concurso paralelo ao conceito de Porto World Battle, o “Porto World Best Group” que é uma “competição de grupo”, explica Cátia Mota. Nos restantes dias, sábado e domingo, “é puramente battle e cyphers. Vamos ter crew contra crew” com base no improviso.

Os prémios são diversos: para os grupos, o vencedor será recompensado com um passaporte para representar Portugal numa competição na Bélgica, que irá decorrer em abril em 2017. Para os pop styles, o prémio é monetário e a organização prepara uma surpresa não revelada.

Artigo editado por Filipa Silva