Com a Torre dos Clérigos como pano de fundo, o projeto de circo contemporâneo apresentou uma pequena parte da peça “E-nxada” esta quinta-feira de manhã, cuja estreia acontece a 19 de abril no Teatro Carlos Alberto, no Porto.

Em conversa com o JPN, Vasco Gomes e Julieta Guimarães, da direção artística e encenação, explicam que o conceito do espetáculo parte de uma ferramenta ancestral (a enxada) que é um símbolo do trabalho primário e rural e que contrasta com os aparelhos eletrónicos atuais.

A criação do espetáculo é o resultado do encontro entre duas companhias de teatro, uma rural e outra urbana: Binaural/ Nodar e A Erva Daninha.

Quando questionada sobre a importância de trazer o espetáculo até ao centro da cidade do Porto, Julieta Guimarães revela ao JPN que “embora o espetáculo vá estrear no Teatro Carlos Alberto, vai haver uma adaptação do projeto para uma versão de rua”. Isto porque considera fundamental “apanhar as pessoas que não estão tão habituadas a ir ao teatro ou que não têm oportunidade de comprar o bilhete”.

O espetáculo vai estar em cena de 19 a 23 de abril, no Porto.

Artigo editado por Rita Neves Costa