A falta de margem para o crescimento do festival aliada ao nascimento de uma futura urbanização, aprovada desde 2008 nos terrenos privados onde o festival tem realizado as suas edições, obriga a organização a escolher um novo local já para o próximo ano.

Apesar de ainda não estar definida a nova localização, o presidente da Câmara de Vila Nova de Gaia garante que a solução passará “por um sitio tão bom e idílico como este”, o que tranquiliza os festivaleiros que apontam para a importância do cenário atual na experiência do festival.

Foi também o primeiro ano em que o festival se realizou de sexta-feira a domingo, e a organização acredita que esta opção foi uma boa aposta, bem aceite pelo público, tendo sido domingo o primeiro dia a esgotar.

Para o ano, o Meo Marés Vivas, que “ é um dos festivais mais baratos do circuito europeu”, além do local vai ainda mudar as datas e “passar para o fim de semana de 20”, ou seja, avança uma semana sobre as datas habituais.