Em jogo a contar para a segunda jornada do campeonato, o FC Porto bateu o Tondela por 1-0, este domingo, com um golo de Aboubakar. A equipa portista teve de transpirar para segurar a vantagem mínima e encosta-se assim aos líderes Sporting e Rio Ave.

Sérgio Conceição apenas promoveu uma alteração no 11 inicial. Face à lesão de Soares na abertura do campeonato, Marega saltou para o 11 inicial. Já Pepa sentou o médio ofensivo Nuno Pedro, que deu lugar ao camisola 28, Wagner, mudando do 4-3-3 da primeira jornada para um 4-4-2.

Domínio inicial portista

O jogo começou com o controlo expectável do FC Porto. O Tondela ia tentando não deixar o adversário construir confortavelmente, pressionando alto com os dois homens da frente.

Aos 10 minutos, primeira situação. Marega fintou o lateral e caiu na área sob a pressão de Ricardo Costa. Fábio Veríssimo não viu contacto do central internacional português, e recorreu ao vídeo-árbitro, que deu razão ao juiz.

O primeiro remate ameaçador à baliza de Cláudio Ramos surgiu à passagem do minuto 22. Corona serpenteou por três jogadores tondelenses, e rematou para a baliza com muito perigo. A bola bateu nas malhas laterais depois de ter desviado ligeiramente em David Bruno. Na sucessão do canto, Marega ainda cabeceou com perigo por cima da barra.

O Tondela ia tentando criar perigo nos contra-ataques e bolas paradas. Na conferência de imprensa antes da partida, Pepa reforçou que a equipa do FC Porto se desequilibrava na perda de bola, e de facto, a sua equipa ia aproveitando os poucos descuidos da equipa portista.

Do lado do Tondela, Murillo provou-se o mais inconformado, rápido a partir da linha esquerda, ia tentando causar estragos na área azul e branca.

Do outro lado, Ricardo Pereira foi-se mostrando em bom plano: muito atento defensivamente ao camisola 77 do Tondela, agressivo e sempre seguro no movimento ofensivo.

Cláudio Ramos resistiu mas cedeu a Aboubakar

A noite caiu em Viseu, e, por momentos, a defesa do Tondela adormeceu. À passagem do minuto 37, Alex Telles remata fraco à entrada da área, a bola sobra para Aboubakar, que remata para defesa inicial de Cláudio Ramos. O guarda-redes do Tondela só não resistiu à recarga do camaronês.

Fábio Veríssimo ainda recorreu ao vídeo-árbitro para verificar a posição do avançado do FC Porto, que se encontrava claramente em jogo. Estava feito o 1-0 e a certeza de que o resultado final já não seria o mesmo nulo que se verificou na época passada.

Aos 40 minutos, Ricardo Pereira serviu Marega que não conseguiu finalizar o remate. Do outro lado, o Tondela também criou perigo mesmo em cima do intervalo. Hélder Tavares rematou à entrada da área, mas a bola saiu ligeiramente ao lado. O FC Porto voltou a sair para o intervalo a vencer por 1-0, à semelhança do que aconteceu na primeira jornada frente ao Estoril.

Missão cumprida

Se na primeira parte, a equipa do Tondela se destacou pela rigidez tática, no segundo tempo, a equipa apresentou-se muito mais solta. Destaque para Danilo que esteve atento ao recuperar bolas de forma rápida, travando os avanços dos beirões.

O FC Porto esteve novamente perto de marcar por Marega, aos 59 minutos. Pouco depois, Aboubakar encontrou espaço à entrada da área e rematou forte. A bola ainda bateu violentamente no poste antes de sair pela linha final.

A vantagem mínima era perigosa para os comandados de Sérgio Conceição. O novo técnico dos azuis e brancos mudou o esquema para três médios, com a entrada de André André para o lugar de Aboubakar.

Nos últimos 15 minutos da partida, o Tondela criou muito perigo e colocou o resultado final em dúvida. Casillas teve de se esforçar para evitar que os tondelenses roubassem os três pontos à equipa portista.

A equipa de Pepa lutou até ao último suspiro da partida e esteve perto do empate diversas vezes. O jogo perdeu o rigor tático à medida que o relógio se ia aproximando do minuto 90.

“Vamos lá para ganhar o jogo”, prometeu Sérgio Conceição na antevisão desta partida. Missão cumprida. O “mar azul” voltou para a cidade Invicta com os três pontos e a ascensão ao topo da tabela. O Tondela sai de cabeça erguida deste jogo, mas ainda sem vencer, descendo ao 14º lugar.

“Espetáculo bonito é quando se ganha”

Em relação à partida, Sérgio Conceição acredita ter sido “uma vitória justa, de um Porto forte que certamente terá algo a dizer neste campeonato”.

O treinador elogiou a agressividade do Tondela, e reforçou a importância da vitória. “São estes jogos que dão campeonatos. Os três pontos de hoje valem o mesmo do que com o Estoril”.

Em relação às dificuldades ao cair do pano, o técnico confessou “ser difícil manter a bola no chão”, contra uma equipa que “faz do jogo direto a sua principal arma”, mas “espetáculo bonito é quando se ganha”.

Em relação ao atraso da equipa à saída para a segunda parte, o treinador fez mea culpa, admitindo que se atrasou nas indicações que queria dar aos seus jogadores. “Se houver multa pago eu”, prometeu.

“Melhores resultados virão”

Pepa também admitiu a justiça do resultado, apesar de elogiar muito a exibição da equipa, “parabéns aos meus jogadores, lutaram até ao fim”.

“Pagamos caro a pouca qualidade para definir em zonas adiantadas”, confessou Pepa, dando também mérito da pressão da equipa portista.

“Melhores resultados virão”, rematou Pepa em relação ao futuro da sua equipa.

Artigo editado por Filipa Silva