A sucessão de três jogos em oito dias não fez mossa no FC Porto. A equipa de Sérgio Conceição venceu este sábado o Belenenses (2-0), em jogo a contar para a 11ª jornada da Liga NOS. Os dragões somam agora 31 pontos, em 33 possíveis e seguem líderes do campeonato português.

Sérgio Conceição mudou três jogadores do onze que derrotou o RB Leipzig na passada quarta-feira. O suspenso Danilo deu lugar a Reyes que ocupou a posição de médio defensivo; Hernâni foi aposta no lugar de Corona e André André entrou no lugar do lesionado Marega, alterando o sistema tático para 4-3-3.

O Belenenses fez apenas uma alteração no 11 inicial depois da vitória caseira por 3-0 frente ao Moreirense. Domingos Paciência trocou o médio Chaby por Roni.

Antes do início da partida, tempo para homenagem a Pavão, antigo jogador do Futebol Clube do Porto que faleceu em campo nos anos 70, numa partida frente ao Vitória de Guimarães, no antigo Estádio das Antas.

Água mole em pedra dura…

Os primeiros 15 minutos deram o mote para o que se verificou ao longo da primeira parte: insistência ofensiva do Porto, e noite inspirada de Muriel que defendeu (quase) tudo. Brahimi, Herrera e Hernâni colocaram o guardião à prova no primeiro quarto de hora, que se mostrou à altura.

Destaque para Reyes, que jogou na sua posição de origem, mas que nunca tinha desempenhado ao serviço dos azuis e brancos. Defensivamente irrepreensível, surpreendeu na sua construção, esclarecida e rápida. Para além do mexicano, Hernâni também tentou mostrar serviço. Mostrou-se irreverente a partir da ala direita, mas nem sempre foi eficaz.

Já perto do intervalo, depois de sucessivas tentativas na baliza de Muriel, eis que surgiu o golo. Na sucessão de um canto batido por Alex Telles, a bola sobrou ao segundo poste para Hector Herrera, que colocou a bola no fundo das redes. Muriel ainda defendeu, mas não conseguiu evitar que a bola entrasse. Estava feito o primeiro da partida, pelo capitão que marcou pela primeira vez nesta edição do campeonato.

Do lado dos lisboetas, Diogo Viana foi o que esteve em melhor plano. O pouco perigo que os azuis do Restelo criaram foi proveniente do lado direito do ataque, quando o número 10 venceu os duelos com Alex Telles.

Segunda parte controlada

A equipa comandada por Domingos Paciência entrou em campo para a segunda parte com vontade de discutir o resultado. Aos 67 minutos, Maurides esteve perto de restabelecer o empate, mas o remate saiu ao lado.

O FC Porto, apesar das tentativas ofensivas do Belenenses, soube gerir o esforço e manter a partida controlada.

O início promissor do Belenenses rapidamente se esfumou, e a partir dos 70 minutos, a equipa de Sérgio Conceição voltou a tomar as rédeas da partida, e só “deu” FC Porto até ao fim dos 90 minutos. André André, Corona (que enviou uma bola ao poste), Sérgio Oliveira e Galeno voltaram a testar Muriel. O brasileiro esteve em noite sim, apesar do resultado final.

Aos 90 minutos surgiu o golo da tranquilidade. Aboubakar sentou o central do Belenenses e picou a bola por cima de Muriel, fechando o resultado mesmo ao cair do pano.

“Era um jogo perigoso”

Em conferência de imprensa, Sérgio Conceição reforçou a dificuldade do jogo, “depois de dois jogos, no Bessa e com o Leipzig”. “Era uma verdadeira final”.

O técnico dos azuis e brancos acredita que “não foi um jogo fácil”, mas “a vitória é justíssima”.

“O adepto do FC Porto é muito exigente mas principalmente na determinação e na vontade de ganhar”. Conceição voltou a elogiar os adeptos, que “deram força” à equipa.

“Pode dizer-se que o FC Porto foi eficaz”

Já Domingos Paciência mostrou-se descontente com o resultado, mas acredita que a sua equipa esteve bem. “A equipa interpretou bem a estratégia que trouxemos para este jogo. Não teve a sorte de fazer golo em duas situações”.

O português realçou a boa entrada no segundo tempo e explicou o segundo golo dos dragões, “na segunda parte entrámos melhor, tivemos mais uma oportunidade do Maurides. Depois no final, já com a preocupação de fazer golo, de procurar mais a área, sofremos um golo em transição”

O treinador deixou ainda um elogio ao plantel dos azuis e brancos, “o FC Porto tem qualidade, jogadores à altura para substituir os titulares e isso ficou bem definido aqui”.

Contas feitas, o FC Porto não vacilou na ressaca europeia e segue líder com 31 pontos, mais cinco que o Sporting que apenas entra em campo este domingo. Já o Belenenses volta para a capital com os mesmos 16 pontos, e desce provisoriamente para o sétimo posto da tabela.

Artigo editado por Filipa Silva