A ansiada nova casa da Orquestra Jazz de Matosinhos (OJM) vai ser oficialmente inaugurada esta sexta-feira e a celebração, claro está, vai ser feita com música. Mas não só.

Primeiro a morada: Avenida Menéres, nº 456, Matosinhos Sul. Já lá estava a Casa da Arquitetura, agora esta passa estar também a OJM.

A inauguração arranca com um concerto, esta sexta-feira, a partir das 22h00, no espaço interior da nova casa com a big band da OJM a rever o repertório original de Pedro Guedes e Carlos Azevedo.

A entrada é livre mas sujeita à lotação, pelo que é necessária inscrição prévia através do email info@ojm.pt.

Para sábado, 22, estão programadas duas visitas guiadas (15h e 17h) para quem quiser conhecer a fundo as novas instalações.

À noite, há mais um concerto desta vez com Manel Cruz como convidado. No espaço exterior da Real Viníciola, o músico vai passar em revista, com a ajuda da OJM, temas dos Ornatos Violeta, Foge Foge Bandido e Supernada, com novos arranjos.

A nova casa da OJM tem 700 metros quadrados e diversas valências. Além do CARA – Centro de Alto Rendimento Artítico, há um estúdio de gravação, salas de ensaio e espaços de apoio nos quais se promete “promover o diálogo entre arte, ciência e tecnologia” visando “a investigação e desenvolvimento de soluções para a criação, fruição e disseminação de conteúdos criativos”.

Além da Câmara Municipal de Matosinhos, que apoiou a OJM na cedência do espaço e na aquisição de meios técnicos, a instituição tem também parcerias com a academia, nomeadamente com a Universidade do Porto, através da Faculdade de Engenharia da UP, e com o Politécnico do Porto, via ESMAE, e ESE/CIPEM.