É já no dia 23 de fevereiro que fecham as candidaturas para o projeto “Sustentar”. Até lá, os entusiastas de fotografia ou vídeo, tanto portugueses como estrangeiros residentes em Portugal, podem inscrever-se. Algumas das temáticas que através do programa será possível explorar são a seca extrema, a criação de cidades autossustentáveis ou a extração do sal.

A plataforma de fotografia Ci.CLO é a responsável pela organização do programa. Segundo o diretor artístico da Ci.CLO e coordenador do “Sustentar”, Virgílio Ferreira, citado numa nota de imprensa, o objetivo é “produzir uma série de projetos sobre iniciativas que já foram ou estão a ser implementadas em território nacional como resposta aos desafios ecológicos e sociais que enfrentamos”.

Estes projetos decorrem nos municípios de Évora, Loulé, Figueira da Foz, Mértola e Setúbal, cujas autarquias apoiam o projeto. A EDIA (Empresa De Desenvolvimento e Infraestruturas do Alqueva) é também parceiro do “Sustentar”.

Os candidatos selecionados vão trabalhar na área da fotografia ou do vídeo num dos seguintes projetos: a criação de uma cidade autossustentável portuguesa, em Évora; o “Setúbal Conserva”, que se relaciona com as vulnerabilidades sociais nos bairros históricos da zona da Anunciada e com a transformação da qualidade de vida dos seus moradores, em Setúbal.

Já no município algarvio de Loulé, pretende-se valorizar a geodiversidade do aspirante Geoparque Algarvensis Loulé-Silves-Albufeira, que remonta há 350 milhões de anos. Em Mértola, a ideia é fomentar a transição agroecológica, através da implementação de um Parque Demonstrativo e Experimental no Perímetro Florestal e de uma Rede Alimentar Local.

A valorização da Salina do Corredor da Cobra enquanto património natural e cultural é o objetivo do projeto na Figueira da Foz, através do Núcleo Museológico do Sal. No Alqueva, destaca-se o LIFE Montado-Adapt, que surge para atenuar as consequências das alterações climáticas nos Montados em Portugal e Espanha.

Os prémios do programa “Sustentar” consistem em seis bolsas de criação artística, direcionadas para projetos com exposições itinerantes que serão integradas na programação da Bienal’21 Fotografia do Porto e nos vários espaços dos parceiros envolvidos.

Os artistas selecionados vão integrar um programa organizado pela Ci.CLO com acompanhamento curatorial de Virgílio Ferreira, Pablo Berástegui, curador e diretor da Galeria de Fotografia Salut au Monde e Krzysztof Candrowicz, curador e ex-diretor artístico da Triennale der Photographie Hamburg. Os vencedores vão também participar em dois workshops orientados por Jayne Dyer, Gil Penha-Lopes e Álvaro Domingues.

As candidaturas podem ser enviadas para o email geral@ciclo-bienal.org e devem incluir dados de identificação, uma biografia resumida, uma carta de motivação, uma memória descritiva e um portefólio. Os candidatos devem também escolher no máximo três projetos ordenados por preferência.

Informações adicionais e o regulamento do projeto podem ser consultados na página do programa.

Artigo editado por Filipa Silva