É já um senhor festival. O FITU-Festival Internacional de Tunas Universitárias “Cidade do Porto” vai para a 32ª edição e apresenta, este ano, uma versão renovada num novo espaço e com convidados de territórios sonoros variados, da música ligeira ao samba, passando pela percussão.

O Seminário de Vilar vai receber, pela primeira vez, o FITU, este sábado, a partir das 21h00. Depois de já no ano passado ter decorrido fora do Coliseu do Porto – aconteceu em setembro, num palco exterior, montado frente à Reitoria da Universidade do Porto, num evento integrado na semana de receção aos novos estudantes – o FITU volta à intimidade das salas fechadas, neste caso, numa casa por onde já passaram em algumas ocasiões e onde, dizem, encontraram “condições ideais” à realização do certame.

O evento, organizado pelo Orfeão Universitário do Porto (OUP), vai ter quatro tunas a concurso. Duas portuguesas – a Tuna TS, de Tecnologias da Saúde do Porto, e a TUIST, do Instituto Superior Técnico. De Espanha, chegam a Tuna de Derecho de Sevilha e a Tuna Universitaria UNED de Ponferrada.

Os anfitriões ficam para a abertura e fecho do espetáculo, com a Tuna Feminina do Orfeão – a mais antiga tuna feminina do país, que celebra 30 anos – a abrir, e a Tuna Universitária do Porto a fechar.

No miolo, há lugar para três convidados: Luís Represas, os Bomboémia, grupo de percussão da Universidade do Minho, e o grupo de samba Unidos de Vila Régia.

Numa nota de imprensa enviada às redações, a presidente da Comissão Organizadora, Flávia Mendes, estudante de mestrado da Faculdade de Farmácia da Universidade do Porto, considera que “este FITU, mais do qualquer outro, é fruto de uma reflexão sobre todos estes anos de festival e o seu legado para o mundo académico”.

Os bilhetes têm preços que variam entre os 3 e os 7 euros. Podem ser adquiridos na sede do OUP (Rua dos Bragas, 289, junto à Faculdade de Direito) ou reservados através de email (fitu@orfeao.up.pt) e telefone.