Da Ação À Palavraé o nome da exposição de fotografia que a organização humanitária Médicos Sem Fronteiras (MSF) tem ao Porto, no âmbito do programa Conexões. Com a mostra fotográfica, patente na Alfândega até sexta-feira, dia 8, a MSF expõe o seu trabalho nas mais diversas partes do mundo, desde a sua formação em 1971 até à atualidade.

Através de uma dúzia de fotografias a cores, de médio formato, acompanhadas por vídeos informativos, os visitantes podem saber mais sobre os locais de atuação desta organização humanitária.

É possível ver fotografias da Guerra Civil da Nigéria, dos contextos de violência na Somália, na República Centro Africana e na Bósnia, mas também do trágico sismo de 2010  do Haiti, dos efeitos do ébola na África Ocidental e da crise humanitária no Mediterrâneo. A par das fotografias, são exibidos pequenos documentários que contextualizam o âmbito da ajuda humanitária nos locais em exposição e apresentam testemunhos dos membros da MSF.

O objetivo do programa que incluiu além da exposição – na Alfândega desde o dia 5 de outubro – uma mesa-redonda e uma sessão de apresentação e recrutamento, é, segundo a MSF, “reforçar os laços da sociedade civil portuguesa com a ajuda humanitária que a organização de emergência médica internacional presta atualmente em 74 países”. Em 2018, o programa passou por Lisboa e, para a organização humanitária, fazia sentido “repetir o mesmo tipo de evento no Porto”.

Em entrevista ao JPN, Gustavo Carona, um médico entre os 77 portugueses que já participaram em missões humanitárias da MSF, diz que é um “orgulho ter esta exposição” na sua cidade.

A MSF está representada em Portugal, em Lisboa, desde janeiro deste ano. O objetivo é recrutar profissionais com capacidades nas áreas da saúde, logística e administração que possam integrar missões em locais de conflitos armados, com carências médicas ou afetados por catástrofes naturais.

A exposição tem entrada gratuita. No âmbito ainda do Conexões, dia 11, segunda-feira, às 18h30, é possível assistir a um documentário sobre o ébola. “Affliction – O ébola na África Ocidental” vai ser transmitido no Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar (ICBAS). Depois da sua exibição, há uma conversa com dois membros portugueses da MSF.

Artigo editado por Filipa Silva