Já há uma data para o arranque da Primeira Liga. Será a 3 de junho que será dado o pontapé de saída para o que resta da época, com a realização de jogos a prolongar-se até 26 de julho. Serão, por isso, 53 dias em que a bola deverá rolar por alguns dos relvados nacionais.

O plano foi revelado por Sónia Carneiro, diretora executiva da Liga Portugal, em entrevista a Bola Branca, da Rádio Renascença.

Sónia Carneiro disse ainda que as oito semanas que vão do início de junho até ao final de julho terão, em alguns momentos, futebol durante toda a semana, com as únicas pausas a acontecerem entre a 25ª e a 26ª jornadas (as duas primeiras) “porque há algum risco de lesões” e na última jornada “por razões regulamentares”.

“Teremos futebol de segunda a domingo, exceto em alguns dias de julho em que não será possível. Os adeptos irão ‘matar’ toda a ‘fome’ de bola que tiveram durante estes dois meses e meio de confinamento”, avançou a responsável.

Os clubes vão ter três a quatro dias de descanso entre jornadas.

Segundo a diretora executiva da Liga Portugal também está a ser estudado com as operadoras a melhor forma de “otimizar horários e preencher o calendário o mais possível com o número máximo de dias com jogos. Vai haver alturas em que teremos jogos todos os dias”, garantiu ainda.

Dois meses e meio de paragem depois, fazemos um apanhado do momento em que está a competição.

Quando regressa o futebol em Portugal?

A bola vai voltar a rolar em terras lusas a 3 de junho e só na Primeira Liga. A competição será retomada à 25.ª jornada. Há dez jogos em falta.

O calendário da 25ª jornada foi entretanto revelado:
Quarta-feira, dia 3 de Junho
Portimonense – Gil Vicente, 19h00
Famalicão – FC Porto, 21h15
Quinta-feira, dia 4 de Junho
Marítimo – V. Setúbal, 19h00
Benfica – Tondela, 19h15
V. Guimarães – Sporting, 21h15
Sexta-feira, dia 5 de Junho
Santa Clara – Sp. Braga, 21h00
Sábado, dia 6 de Junho
Desp. Aves – Belenenses SAD, 19h00
Boavista – Moreirense, 21h15
Domingo, dia 7 de Junho
Rio Ave – Paços de Ferreira, 21h00

Que medidas de segurança vão ser implementadas?

Primeiro, os jogos serão à porta fechada. Será ainda preciso realizar testes à COVID-19 entre 48 a 24 horas antes das partidas aos jogadores, quer estejam convocados ou não, equipas técnicas, elementos que as Sociedades Desportivas considerem relevantes e membros intervenientes na zona técnica.

Caso um futebolista teste positivo ao novo coronavírus, apenas pode regressar quando tiver dois testes negativos num período superior a 24 horas e atestado pelo departamento médico.

Os delegados da Liga devem verificar, algumas horas antes da bola rolar, se estão reunidas as condições para se disputarem as partidas nos recintos, sendo uma delas, a higienização das bolas.

Será ainda preciso recorrer ao isolamento obrigatório dos intervenientes no decorrer do campeonato e ao uso obrigatório de máscara em todos os locais fechados.

E a FIFA autorizou até ao final do ano a realização de cinco substituições por partida desde que não se pare a partida mais do que três vezes.

Quando foi disputado o último jogo da Liga NOS?

Foi a 8 de março que ocorreram os últimos cinco jogos da Liga NOS, sendo que a derrota caseira do FC Paços de Ferreira frente ao Vitória SC (1-2) foi mesmo o último dos encontros disputados.

Na 24ª jornada, o líder FC Porto empatou em casa com o Rio Ave, ao passou que o Benfica repetiu o mesmo resultado (1-1) no terreno do Vitória de Setúbal.

Quem está na luta pelo título?

Com 24 jogos disputados, o FC Porto lidera a classificação da Primeira Liga com 60 pontos somados (19V-3E-2D), mais um que o rival Benfica (19V-2E-3D).

Com o terceiro classificado, o SC Braga, a 14 pontos da liderança, a disputa do título parece estar entregue a dragões e águias, pelo menos em circunstâncias normais, que não são, decididamente, as atuais.

Matematicamente, até Gil Vicente FC (8.º) e Moreirense FC (9.º) poderiam igualar o FC Porto, caso ganhassem os dez jogos que têm em disputa e a equipa da Invicta perdesse sempre (o CD Santa Clara também poderia igualar mas perderia no confronto direto).

Para conferir o alinhamento completo das 18 equipas da Primeira Liga aqui fica a tabela da liga portuguesa à 24ª jornada.

Fonte: Liga Portugal/Twitter

Quem marcou mais golos?

O melhor ataque até agora pertence ao SL Benfica, que marcou 52 golos, registo para o qual muito contribuíram Carlos Vinícius e Pizzi.

O brasileiro é o melhor marcador do campeonato com 15 golos e o português segue a apenas um tento do avançado.

O médio internacional português é ainda o melhor nas assistências da liga, com oito passes certeiros.

Paulinho, do SC Braga, fecha o pódio dos goleadores. Alex Telles é o melhor marcador do FC Porto, com oito golos à sua conta.

Quem luta pela sobrevivência no principal escalão?

O CD Aves (18.º), com apenas 13 pontos, e o Portimonense SC (17.º), com 16 pontos, estão em maus lençóis, já que o primeiro clube acima da linha de água, o FC Paços de Ferreira, tem mais seis pontos do que os alvinegros.

Mas Marítimo, com 24 pontos, CD Tondela, com 25, e Belenenses SAD, com 26, são outros que também não têm a época salva de percalços.

Onde vai ser jogado o que resta da época?

Até ao momento, a Direção-Geral da Saúde (DGS) aprovou 12 estádios, dos 15 vistoriados.

A saber:

  • Estádio Municipal de Portimão (casa do Portimonense SC)
  • Estádio do CS Marítimo (terreno do CS Marítimo)
  • Cidade do Futebol (que será a casa emprestada de CD Santa Clara e Belenenses SAD para a reta final)
  • Estádio João Cardoso (reduto do CD Tondela)
  • Estádio D. Afonso Henriques (de Vitória SC e será usado pelo Moreirense FC),
  • Estádio Municipal de Braga (recinto do SC Braga)
  • Estádio José Alvalade (Sporting CP)
  • Estádio da Luz (SL Benfica)
  • Estádio do Dragão (FC Porto)
  • Estádio Capital do Móvel (FC Paços de Ferreira)
  • Estádio Cidade de Barcelos (do Gil Vicente FC e que a passar será também utilizado pelo FC Famalicão)
  • Estádio do Bessa Século XXI (Boavista FC)

O Estádio do Bonfim (Vitória FC), o Estádio do CD Aves e o Estádio do Rio Ave FC (do Rio Ave FC) são os estádios que ainda podem ser considerados aptos após nova vistoria, isto se tiverem realizado as devidas correções.

Quanto ao Estádio de São Miguel (CD Santa Clara), ao Estádio Nacional do Jamor (usado pelo Belenenses SAD), ao Estádio Municipal de Famalicão (do FC Famalicão) e ao Estádio Comendador Joaquim de Almeida Freitas (do Moreirense FC) não fazem parte das contas da reta final da prova.

Que confrontos ainda nos esperam?

Na nova jornada de abertura, a 25.ª, destaque para a visita do Sporting CP ao D. Afonso Henriques para defrontar o Vitória SC e para a receção (provavelmente em Barcelos) do FC Famalicão ao FC Porto. O Benfica recebe na Luz o CD Tondela.

Na 27ª jornada, será a vez do SC Braga ir ao campo do FC Famalicão e o SL Benfica vai ao norte defrontar o Rio Ave FC.

A jornada seguinte terá dois dérbis. O quente dérbi do Minho, a decorrer no Municipal de Braga, e o dérbi da Invicta, no Dragão.

A 31ª jornada verá os Famalicenses receberam mais um grande, desta vez o SL Benfica.

Para a 32ª e antepenúltima jornada está marcado o clássico entre dragões e leões no estádio dos portistas, enquanto as águias recebem o Vitória SC.

E o campeonato finaliza com confrontos entre os atuais quatro primeiros classificados. Águias e leões defrontam-se na Luz no dérbi da Segunda Circular, enquanto o FC Porto vai até Braga.

Nas principais ligas europeias, quem regressou ou pensa fazê-lo?

A Alemanha já voltou ao ativo e logo com goleada no Revierderby. O Borussia Dortmund bateu o Schalke 04 por 4-0, com dois golos de Raphael Guerreiro.

Em Inglaterra ainda não se chegou a um consenso sobre os moldes em que a Premier League regressará.

Em Espanha os jogadores já treinam em grupos de 10, mas ainda não há decisões acordadas.

E em Itália também foram retomados os treinos coletivos, mas o calcio continuará suspenso até 14 de junho.

E quem não regressou?

Na Bélgica, o Club Brugge foi declarado campeão, conquistando assim o seu 16º título. Faltava uma jornada para concluir a fase regular com os Blauw en Zwart a liderarem com 15 pontos de avanço. Já o último classificado Waasland-Beveren desceu de divisão.

No Chipre, não há nada para ninguém: nem campeão nem descidas, mas com um campeonato alargado a 14 equipas na próxima temporada.

Na Escócia, o título foi entregue ao Celtic. Foi o nono triunfo consecutivo e o 52.º da história dos católicos, que ficam a um do eterno rival Rangers. Em sentido inverso, o Hearts foi despromovido.

Na França, o Paris Saint-Germain foi declarado campeão, chegando assim aos nove títulos, pelo que iguala o Olympique Marseille e fica a um do Saint-Étienne. No outro lado da tabela, Amiens e Toulouse foram despromovidos.

No Luxemburgo, a bola também não volta a rolar e novamente sem a atribuição de título. No entanto, o campeonato cresce para 16 equipas na próxima época (mais duas), regressando depois à normalidade por descerem quatro clubes no final de 2020/2021.

E nos Países Baixos também ninguém leva o título nem ninguém sai do principal escalão, assim como não haverá subidas.

Nota ainda para o Liechtenstein. O país não tem campeonato, sendo a taça nacional a grande competição interna, tendo esta também terminado sem vencedor.

E as competições europeias?

Segundo o jornal As, as intenções da UEFA passam por tornar os quartos de final e as meias-finais tanto da Liga Europa quanto da Liga dos Campeões em eliminatórias de apenas um jogo.

As semifinais da Champions seriam inclusivamente disputadas no formato final-four, em Istambul, onde decorrerá a final.

A Liga Europa teria como data de regresso o dia 6 de agosto e a Liga dos Campeões o dia 8 do mesmo mês. A proposta vai a votos a 17 de junho.

Como vão as coisas na Bielorrússia?

Foi preciso esperar nove jornadas para a COVID-19 provocar estragos na liga da ex-república soviética que, ainda assim, apenas viu um jogo ser cancelado, entre o FC Minsk e o Neman. No domingo (24) joga-se a final da taça entre BATE Borisov e Dinamo Brest.

Artigo editado por Filipa Silva

Artigo atualizado às 17h10 do dia 22 de maio com a inclusão dos jogos e horários da 25.ª jornada, bem como dos novos estádios aprovados pela DGS para a realização de jogos.